sábado, 18 de fevereiro de 2012

Fazenda do Governo e Fazenda Colina

Quadro intitulado Estação Experimental de Zootecnia de Colina
de Paulo Tosta
A Coudelaria Paulista (Estação Experimental de Zootecnia) foi criada em 1935, visando fazer pesquisas e experimentações sobre bovinos e equinos e para cultivar pastagens e plantas forrageiras necessárias à alimentação dos animais. É considerada área de reserva e preservação ambiental, destinada à geração e difusão de tecnologias agropecuárias. Numa área total de 2487 hectares, encontram-se áreas de preservação ambiental e de mananciais (Represa do Burrinho), pastagens, produção de grãos e forrageiras, instalações e residências. Aí fica também a área utilizada pela Escola Técnica Agropecuária Municipal São Francisco de Assis, pelo Clube do Cavalo e pela Prefeitura Municipal de Colina.
A Fazenda Colina foi vendida para o Estado em 1940 pelo Dr. Lamounier de Andrade e D. Mariana Dias de Andrade (respectivamente, genro e filha de José Venâncio Dias).


Coudelaria Paulista

Coudelaria Paulista - 1939/1940 - http://www.igc.sp.gov.br/
Instituto Geográfico e Cartográfico do Estado de São Paulo

Vista Geral da Cidade - 1939/40


Capitão Bella Wodianner, de origem alemã, foi nomeado pelo Governo do Estado para construir a Coudelaria Paulista em 1937

Cocheira dos garanhões em construção


1940 - Primeira Exposição de Animais - foi montada na área defronte à primeira casa localizada na estrada que vai de Colina para a Coudelaria Paulista

1940 - Primeira Exposição de Animais 

Paulo Vieira Lavrador

Domingos Trabaquim - Fazenda Colina

Francisco Tomaz Ferreira (Chico Peão). Nasceu em Colina em 19/11/1917. Em 1968 ingressou no serviço público na Coudelaria Paulista
João Mendes da Silva - convidado pelo Cel. Luciano de Mello Nogueira, mudou-se de Bebedouro com sua familia para a Vila Colina. Construiu a primeira caixa d'água de Colina e, na mesma fazenda, contruiu o famoso Burrinho, para captação e bombeamento de água

Represa do Burrinho - Fazenda do Governo



Açude da Fazenda do Governo


Cocheira dos Garanhões







 Cocheira dos Potros

Cocheira das Éguas

Salão de Eventos


 fotos tiradas por baixo, de dentro do Salão de Eventos! Meu pai, Vavá, comentava que foram carpinteiros húngaros que montaram, com tábuas sobrepostas, sem pregos! E isso foi depois que a montagem de ferro caiu - Luiz Henrique Webber, que nos enviou as fotos.



Hospedaria

Escritório da Fazenda





Paiol



Paiol, serraria e marcenaria




serraria e marcenaria

antigo açougue

antiga escola






colônia Fazenda do Governo

colônia Fazenda do Governo

colônia Fazenda Colina











cavalo bretão

 Revista Tudo de Bom




 Fotos publicadas no Panoramio do Google Earth

 verso da foto abaixo


Esta postagem tem fotos cedidas por Antonio Sérgio Torquato (de sua autoria), por Vitória Catani e Estudio Mix (Mazim), publicadas no ORKUT no link:
Colina.SP fotos




Avanço nas pesquisas despertam a atenção de estudantes

  Pólo de Colina vai sediar evento em comemoração aos 10 anos da APTA
Avanço nas pesquisas despertam a atenção de estudantes brasileiros e estrangeiros, que buscam conhecimento no Pólo colinense
  A APTAAgência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios completa 10 anos neste ano e como Colina sedia um dos 15 pólos implantados no Estado, o Departamento que coordena os Pólos Regionais fará um evento comemorativo no próximo dia 20, aqui no município, com a participação de todos os Institutos de Pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.
Em entrevista, o diretor e pesquisador do Pólo de Colina, Flávio Dutra de Resende, conta que a descentralização, com a criação dos Pólos Regionais, contribuiu bastante para a evolução das pesquisas, principalmente na Unidade de Colina que conta atualmente com 13 pesquisadores, a maioria com título de doutor obtido nas mais renomadas universidades brasileiras.
“Antes da criação da APTA, o Pólo Regional da Alta Mogiana trabalhava somente com pesquisa na área de equídeos, bovinos de leite e corte. Com a criação da APTA Regional, Colina recebeu mais 10 pesquisadores e as ações se diversificaram. Atualmente trabalhamos nas áreas animal (equídeos, bovinos de leite e corte) e vegetal (fruticultura, citros, seringueira, cana-de-açúcar e grãos: milho, sorgo, soja, amendoim e feijão); todas desenvolvem pesquisas de ponta com contribuições importantes para o setor do agronegócio regional, estadual e brasileiro”, explicou Resende.
PESQUISAS GANHAM DESTAQUE
Todas as pesquisas desenvolvidas no Pólo de Colina são importantes, mas algumas estão com maior visibilidade no setor produtivo, como é o caso do projeto de produção de leite a pasto. “Através das pesquisas queremos demonstrar a viabilidade de produzir leite a pasto e com qualidade. O leite produzido aqui é considerado o melhor da região norte do Estado”, comentou.
Na Unidade de Pesquisa de Colina também são desenvolvidos os projetos de citricultura, bovino de corte e de equídeos. “Como Colina é conhecida como Capital Nacional do Cavalo estamos contribuindo para o setor. Somos o único fornecedor de cavalos da raça Brasileira de Hipismo para o policiamento da capital e interior. O animal é fruto de um projeto de melhoramento da raça e da adoção de práticas de bem estar animal, conforme matéria veiculada recentemente na Rede Globo”. Acrescentou, “em Colina, no ano passado, nasceu o primeiro jumento oriundo de sêmen congelado, tecnologia inédita no mundo e que possibilitará maior intercâmbio entre os diversos criadores do país. Também estamos testando novos materiais mais produtivos e resistentes à pragas e doenças de seringueira”.
ESTÁGIÁRIOS LEVAM CONHECIMENTO PARA O MUNDO
Outra importante contribuição do Pólo e a propagação de conhecimento através dos estágios que disponibiliza para estudantes de todas as partes do país e do mundo. “Tivemos recentemente na Unidade de Pesquisa alunos da Holanda, Portugal, Inglaterra e das mais diferentes localidades do Brasil, desde o Rio Grande do Sul até o norte e nordeste. A vinda destes estudantes, para receberem treinamento aqui, é prova do avanço tecnológico que a Unidade de Pesquisa teve com a criação da APTA em 2002”. Ressaltou, “nossos projetos de pesquisa são conhecidos no meio científico, prova disso é o grande intercâmbio existente entre nós e as diversas instituições nacionais e internacionais”.
Em 2011, o Pólo conseguiu um projeto inédito junto ao Ministério de Ciência e Tecnologia, através do CNPq, com concessão de 20 bolsas de Iniciação Científica Júnior (IC-Jr). “Após o projeto de seleção na Escola Agropecuária, as bolsas são concedidas aos melhores alunos, que têm o primeiro contato com a pesquisa e uma oportunidade ímpar para serem os futuros pesquisadores do Brasil. O projeto é inédito e neste ano estamos indo para a 2ª turma com mais 20 bolsas”.
A Fazenda do Estado, onde a APTA funciona, tem uma área total de 1.000 alqueires, dos quais 20% são utilizados pela Escola Agropecuária e o Recinto da Festa do Cavalo. Do restante, 30% se destina a reserva legal e aproximadamente 8% como área de preservação permanente (APP), 420 alqueires (42%) são utilizados no plantio de culturas e criação de animais utilizados no desenvolvimento dos diversos projetos de pesquisa. “Para nos adequarmos a legislação ambiental, em parceria com o DER, em 2011, foram plantadas 140 mil árvores nativas na Unidade, o que possibilitou recuperar 100% da APP e ampliar a reserva legal”, explicou Resende.
O Pólo também tem conseguido aprovar projetos nas mais diferentes agências de fomento do país. Para Colina, ter uma unidade da APTA, é prova de que as pesquisas realizadas aqui, além de se tornarem conhecidas no meio científico, tem contribuído para o avanço do agronegócio brasileiro.
Postado em 07/04/2012 na edição on line dO Colinense



Outras postagens sobre 
a Fazenda do Governo (clique):

Tião Prega Fogo - por Renata Paro
Amigos da Coudelaria por Claromides Boca
Fazenda do Governo por Marcelo de Sá
Fazenda do Governo e Fazenda Colina por Renata Paro

Nenhum comentário:

Postar um comentário