terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Neia Pereira, nossa artista dos pincéis...

Viemos pra Colina em 1959. Meu pai, o soldado Villobaldo, solicitou sua transferência de Itirapuã pra Colina porque a cidade estava progredindo. Já tinha a Fabrica de Ladrilhos Guanabara, estava sendo inaugurado o Frigorífico Colina, depois Fricol (banha e linguiça), estavam em contrução o Posto de Gasolina/Mecânica Bortolo Antonio Bizarre, empresas geradoras de emprego. Quando chegamos, ficamos encantados com a cidade: um povo acolhedor, uma cidade organizada, sem contar que a água era e é da melhor qualidade. Em Colina fomos criados e nos tornamos adultos, formamos nossas familias. Dois dos meus irmãos e meu pai morreram e estão enterrados em Colina. Minhas irmãs Antonia Irani, Selma e eu permanecemos vivendo em Colina e tenho uma outra irmã (Silvana Eunice) que mora em Monte Azul Paulista. O tempo passou, tudo mudou, mas eu não esqueci as pessoas que conheci quando aqui cheguei. Os mais velhos já se foram mas, estão aqui os filhos, os netos e as pessoas com quem convivi desde que aqui cheguei. Estamos sempre nos encontrando e recordando os velhos tempos!!!!!!! Sinto saudades da Colina de ontem, mas também amo a Colina de hoje...


 Villobaldo José Pereira, nasceu em Cristais Paulista SP, em 15 de Março de 1924. Filho de lavradores mudou-se para Batatais na década de 40, onde se casou com Antonia Rosa Silveira.
Sempre sonhou em ser soldado e sentou praça em São Paulo. Na foto, ele assina o juramento e recebe a função de soldado I.
Voltou para Batatais e teve os filhos: Antonia Irai Pereira, Irai Shirlei Pereira, Silvana Eunice Pereira, Maria Dulcinea Pereira, Lucinei Donizete Pereira e Selma Aparecida Pereira.
Veio para Colina em 1958 sem a família e foi morar numa pensão. Em 1959 trouxe a familia e aqui fixou residencia. Faleceu em abril/1983.

da esquerda para a direita: Selma, João Vitor, Silvana. A senhorinha à direita é a mãe da Neia, D. Antonia, 89 anos... no aniversário de seu bisneto (sãopaulino) João Vitor Ferraz Paro...





As pinturas da Néia Pereira:
Primeiras pinturas: óleo sobre tela
Amarilis

Girassóis, em homenagem a seu pai que as cultivava


Natureza morta
toda mulher gosta de rosas, diz a Néia



Pantanal

Camponesas

Paraty


Em homenagem ao Leandro Rosa, 
Neia pintou este quadro baseada nesta foto: 





clip com um resumo sobre a Néia Pereira...
com música do Jota Quest, de quem ela é fã...