sábado, 6 de abril de 2013

Onde a cidade começou...

Rua 13 de maio com Av. Manoel Palomino Fernandes (antiga Av. Colina), onde a cidade começou...

anos 30 - vê-se a chácara Palmeiras, dos Fabri

 Chácara Palmeiras, de José Fabri 
Márcia, bisneta dos Fabri relata: "todos conhecem o meu bisavô por Jose Fabri, mas o nome dele no passaporte está como
Giuseppe que é um nome italiano, é mau de brasileiro adaptar tudo à maneira preguiçosa de falar da nossa língua. Eu estava lendo o blog e achei uma historia que a minha tia Malvina morreu louca , na verdade a minha mãe conta que a prefeitura ia passar uma rua dentro da chacará, que pertencia a minha tia Malvina e que ela não concordava com isso. Você sabe as pessoas de antigamente tinham muito amor ao local onde viviam tranquilas e, de uma hora pra outra, se vê quase expulsa do lugar onde vivia e amava. Minha mãe contou que ela tinha muitos animais e frutas na chácara e que o lugar era muito bonito. Por este motivo, quando os homens da prefeitura começaram a trabalhar no local, ela tentava impedi-los, e isso causou alguns problemas; se fosse nos dias de hoje talvez as coisas fossem resolvidas de outra forma."

Ao lado havia uma chácara que chamávamos Malvina (uma das filhas do Fabri), que também tinha muitas árvores frutíferas e fazia as delícias da molecada. Tinha uma casa em ruínas que diziam ser mal assombrada. Como a Malvina morreu em tratamento no Franco da Rocha, isso se incorporou ao folclore local, típico de um interior onde não havia televisão e os "causos" eram contados à larga.
Resumindo e concluindo, não se trata exatamente da primeira casa mas sim do local onde foi erguida a primeira casa e da primeira chácara de Colina. Esta poderia ser chamada de primeira casa de alvenaria construída em Colina, no mesmo lugar do rancho dos Fabri, este sim, a primeira habitação de Colina.
O Nestor de Oliveira Filho falou numa chácara na Av. Rui Barbosa, logo acima da linha, mas nunca ouvimos nada a respeito. Mas, toda história oral tem sempre algum fundo de verdade. Precisaria ser apurado. O problema é que não deve ter ninguém vivo pra contar e os registros de propriedade estão no Cartório de Barretos.


 Marcia, Bisneta dos Fabri: "a chácara dos Fabri se chamava Chácara Palmeiras. Minha mãe conta que lá tinha tanta variedade de árvores frutíferas que era chamada de o paraíso das frutas,. Meu avô, o Vicente Fabri, filho do José Fabri, gostava muito de plantar rosas também, e que quando chovia ele ficava todo feliz na janela, assoviando, vendo a chuva molhar a plantação. O assoalho da casa era todo de tábuas, que elas lavavam com sabão de cinzas e ficava tudo muito branquinho. Quase na porta da casa tinha um córrego que as crianças da casa adoravam levantar pela manhã e lavar o rosto com a água fresquinha. No fundo da chácara também tinha um córrego onde as crianças iam nadar e pescar."

 Primeira casa de Colina - pertecenceu ao imigrante italiano José Fabri (1905). Localizava-se na Av. Manoel Palomino Fernandes com a Rua 13 de Maio. Inicialmente, era uma pousada de tropeiros e madeireiros 
(Foto: Acervo Museu Municipal Colina )

Amélia Fabri e família - Chácara Palmeiras
(Acervo Museu Municipal de Colina)
Vagner Meira Cotrim: "em meados de 2009 conheci Márcia Migliani, residente em São Paulo. Visitava Colina com uma lúcida e simpática senhora em busca da foto acima (a primeira casa de Colina). Me dizia Márcia que aquela senhora estava em busca de recordações e que, além da foto que estava no painel da Secretaria Municipal de Educação, a levaria para a Escola José Venâncio onde ela havia estudado. A simpática senhora era Dona Amélia Fabri, descendente dos primeiros moradores de Colina. Conversamos um pouco e ela revelou ter fotografias de família, inclusive de José Fabri e esposa. Alguns meses depois via correio recebemos essas duas fotos abaixo que apoveito para postar aqui (esta e outras fotos estão na postagem sobre as Famílias Fundadoras aqui deste blog).

Neste mesmo local, mais tarde, em virtude da erosão, apareceu o Buracão

 Buracão (Acervo Museu Municipal de Colina)

 O Buracão (Livro Colina Capital Nacional do Cavalo - Syria Drubi pag.588): muito se conta sobre o famoso Buracão, os mais velhos então, cada um possui uma estória do famoso buraco que engoliria a cidade de Colina. O "Vale do Buracão" como era denominado antigamente foi o local onde se construiu a casa de José Fabri, local este que até hoje possui nascentes do nosso agora ja controlado lago no atual Parque Débora Paro. O Buracão tornou-se uma ameaça a população da epoca, porque este vinha devorando as residencias de nosso povoado, consequencias do desbravamento causando esta terrivel erosão.O Prefeito Pio de Mello Nogueira (1952/1956) confiou ao construtor de obras Sr. Angelo Martins Tristão , a missão de acabar com o buracão e acalmar a população.
 Aparecida Rodrigues, Amália Silva Albregardi e Giacomo Borella (Lello) Meados de 1.940 - Doação da foto: Giacomo Borella (Lello)
(Acervo Museu Municipal de Colina)
 Buracão: da esquerda para a direita: Catarina Scarmato Buzulini, Aparecida Rodrigues e Amália Silva Albregardi, meados de 1.940
Doação da foto: Giacomo Borella (Lello)
(Acervo Museu Municipal de Colina)

 Vagner Meira Cotrim: "na administração Tô, foram construidas três galerias acabando de vez com a ameaça. Ainda na administração Tô foi projetada e iniciada a obra do que seria o Parque Débora Paro: uma linda maquete circulou por bancos e estabelecimentos de Colina, mas isso é uma outra estória (rs). O Parque Débora Paro está em obras até os dias de hoje, com Pista de skate e a construção de um Teatro, mas devemos ficar atentos porque nunca se sabe... se não cuidarmos o buracão poderá ressurgir e engolir a cidade toda (rs)..."


 Hélia Marta Filomeno Ikuma: a ponte fica na Rua Luiz Camargo, a um quarteirão e meio da minha casa, a um quarteirão da Av. Manoel Palomino Fernandes e ao lado da Rua Antonio Guarnieri. Foi construída na administração João Ademar Paro. É conhecida como Ponte Seca

Parque Débora Paro

As esquinas hoje,
fotografadas pela Renata Paro:





 Marisa e seu irmão Francisco na época em que 
a antiga Av. Colina foi asfaltada










como é e como era





Ainda sobre a história de Colina - clique nestes links




Nossos agradecimentos a Márcia Migliani (bisneta dos Fabri), Vagner Meira Cotrim, Renata Paro e Marlei Paro pelas fotos aqui publicadas