quarta-feira, 21 de março de 2012

Colina: o transporte através do tempo


A cavalo e no lombo do burro

Os primeiros entrantes mineiros (os Junqueiras) desbravaram a região, estabelecendo-se primeiro em Morro Agudo e depois avançando até a região onde hoje está Colina

 Museu de Araxá

 Cena rural intitulada No Pouso, óleo sobre tela de
Benedito Calixto, 1909
 Museu de Araxá

 Rugendas - Repos d'une Caravanne

 Museu de Araxá

  Museu de Araxá

 Calmon Barreto: Chegada dos tropeiros (Museu de Araxá)

Fazenda Santa Maria, Bebedouro
Benedito Calixto (1909)
Carros de boi, cavalos, carroças, charretes, troles, carroções

 1920 - carros de boi, transportando toras para a Cia. Paulista de Estradas de Ferro - na atual Rua Alfredo Simões de Campos Filho, entre a Ruas 7 de Setembro e 13 de Maio. Atualmente, a casa da direita é a Casa Vulcão e, as duas à esquerda, a Clínica do Dr. Adilson Sturaro
(do acervo do Museu Municipal de Colina)

 a carroça e o cavalo - Av. Angelo Martins Tristão, entre a atual Rua Alfredo Simões de Campos F° e a Av. Rui Barbosa, em frente ao Bar do Celso Tanioku. Na esquina ficava a loja de Schimidt Ivamoto
 Primeira Agência dos Correios - 1911 - Rua 7 de Setembro - Acervo Museu Municipal de Colina - Segundo o Nestor de Oliveira, os paus em frente ao correio serviam para amarrar os cavalos, mulas, burros...

 Colheita de café na Fazenda Caçula (anos 40)

 1960 - no Monte Belo - José Antonio Tonus, Pe. Antonio S'anit Clements, a menorzinha, Maria de Lourdes Tonus, Maria do Carmo Tonus, Maria Isabel Tonus e a de trás Zenaide Paro Tonus



 Pedro Paulo e José Francisco Paro, na Rua 7 de setembro
com Antonio Guarnieri

 José Francisco Paro

 Batata

 Dego

 Chico Peão

 a carroça e um carro dos anos 30 lado a lado na rua principal da cidade: Rua 7 de setembro com Av. Rui Barbosa

 1952 - Angelo Stramasso na Fazenda Caçula/Fazenda Santa Inácia - descarregando café no terreirão.
foto enviada por Maria Ribeiro Stramasso
 1963 - Chácara Santa Clara - Deó e o menino Santo Paro Neto com o carroção para transporte de carne

 Bebedouro de Animais


2011
 2004
 enviada por Rosane Paro Webber Cauduro: Charreteiro (?),
Ju Webber, Lucas Cauduro, Mateus Webber Cauduro, Carol Webber
 Fazenda do Governo - 2011
trole
 Fazenda do Governo - 2011



 1946 - Carteira de Habilitação de Sebastião Dalpin: para conduzir carroças como Carroceiro Rural Profissional

anos 20 - Carta de Motorista nº 157 - profissão Chauffeur, habilitado para o governo de automóvel - Raul dos Santos, pai de Aristeu dos Santos

A ferrovia... o trem

1918 - o trem P-1, da linha tronco - entre Rio Claro/Barretos

a "Fodoca" - a partir de 1927, e até cerca de 1940, saía de Colina um ramal particular, pertencente a Antonio Junqueira Franco e Italo Morelli, que seguia por 24 km, em bitola métrica, para Jaborandi, até a fazenda Brumado, para trazer lenha e que era operado pela Paulista com apenas uma locomotiva e um único maquinista durante todos os anos de operação (Fonte: Museu de Colina e Relatório no.3, Secretaria de Estado dos Negócios da Viação e Obras Públicas do E. S. Paulo, 1929)

a ferrovia atravessando a cidade

1972 - o trem deixando Colina - a foto de Luiz Antonio Torquato foi tirada da antiga Estrada Boiadeira, pouco antes do cemitério


 transportando o pessoal para serviços na linha férrea
a Matisa - equipamento usado para reparos na linha férrea

Nos tempos das jardineiras

 20/novembro/1933
Extraído de O Colinense por Vagner Meira Cotrim
Família Parreira (do acervo do Museu Municipal de Colina)
Manoel Parreira (na foto com familiares).
cedida por Dantinho Guarnieri (Renata Paro)
Mercedes 1910 ... (vide descrição do carro abaixo)

Família Dante Guarnieri/Maria Parreira Guarnieri, chegou em Colina em 1929. Fundou, junto com seu cunhado, a firma Parreira & Cia.
Filhos do casal: no centro, Dante Guarnieri Filho, à esquerda, Ivone e Jandira e à direita Oscar e João Guarnieri - Doação: Família Guarnieri
 cedida por Dantinho Guarnieri (Renata Paro)
Dante Guarnieri foi pioneiro no transporte coletivo, em Posto de Combustivél, em casa de peças e acessorios e em oficina mecânica.
1928 - Jardineira Chevrolet Ramona, transportava até 15 passageiros, entre Colina e Monte Azul Paulista - à direita, Nico (Silvio Camolesi), motorista da jardineira, e à esquerda, Luiz Barbaresco
jardineira Chevrolet, possivelmente 1925 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
 Jardineira pertencente ao Sr. Dante Guarnieri 
(Acervo Museu Municipal de Colina)
 Jardineira da empresa Parreira & Cia. Ltda.,
das famílias Parreira e Dante Guarnieri
fazia a linha entre a Fazenda Iracema e Colina
jardineira Chevrolet 1928/29 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
legenda atrás da foto:

 Dante Guarnieri junto à Jardineira que ele e seus irmãos Joanim Guarnieri e Antonio Guarnieri construiram.
Segundo o Dantinho, ele nasceu na fazenda Iracema onde o forte era a safra de café. No final de uma das safras o pai dele fez um acerto com o dono da fazenda e recebeu um caminhão em pagamento. Ele transformou esse caminhão na jardineira da foto


 década de 40 - Estudio Mix Mazim
Jardineira Ford Barrel Nose 1938 ...



Jardineira Ford Barrel Nose 1938 ... 

Jardineira 1938 da Ford, Okm!
É uma Ford "Barrel Nose" ou, "Frente de Barril" no apelido abrasileirado.
Belo registro na cidade de Colina -SP, enviado pelo Lucas Nori Micheletti.
identificação através do blog:

http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/2011/08/jardineira-ford-barrel-nose-1938.html


E o parabrisas basculante dá um toque todo especial nessa bela jardineira!




ao fundo, Oficina Camolese


 filme Colina 1956 (José Mario Tonus)
Ponto de jardineiras em frente à estação

Filme Colina 1956 - Empresa Angelo Stramasso & Cia Ltda.
esquina da Av. Manoel Palomino Fernandes com R. 13 de maio
jardineiras para: Terra Roxa, Jaborandi, Viradouro,
Monte Azul, Olímpia, Severínia
e tranporte de alunos para Barretos






em 19/março/1961 ocorreu um acidente entre um trem noturno uma das jardineiras da empresa (que transportava o pessoal para a quermesse da Igreja N. S. Aparecida), na passagem de nível para o Patrimônio e 4 pessoas morreram:

1971 - Onibus chegando de Barretos com destino a São Paulo. Entrava em Colina até um bar na Av. do Trevo (antes chegava até o Bar dos Brait, em frente à estação ferroviária). Antonio Sérgio Torquato, autor da foto, estava no bar perto do trevo e escreveu: tirei esta foto com uma maquininha comprada de muambeiros no largo da Batata em Pinheiros/SP. Dia triste quando tinha que me separar da mãe e dos irmãos.

 Onibus da empresa São Manuel, 1971

2001 - Monte Belo
Carros, carrinhos e carrões

 Família Parreira (do acervo do Museu Municipal de Colina)
1920 - o primeiro carro de Colina, da marca Diato - de Manoel Parreira (na foto com familiares). Este carro conduziu o Presidente da República, Washington Luiz, quando de sua visita a Barretos para a inauguração da Usina Marimbondo. Obs: direção inglesa, do lado direito
Entretanto, de acordo com o blog http://antigosverdeamarelo.blogspot.com/2011/08/mercedes-1910.html, trata-se de uma Mercedes e descreve assim o carro: Mais um daqueles bichos papões do início do século passado... Lembrem-se que o automóvel era uma novidade em todo o mundo! Esta foto é na cidade de Colina -SP e foi enviada pelo Lucas Nori Micheletti. Um grande evento como esse, mereceu um belo registro para a posteridade, mas... que carro é? Na minha opinião, é Mercedes e o ano deve estar perto de 1910. Super interessante é a buzina; os farois e a capa do radiador que devem ser de cobre, mais as rodas de arame, um luxo!
o Mercedes certamente possuía "mão inglesa", da mesma forma, os norte americanos nos primeiros anos do 1900.

 Fordinho em frente ao casarão da Família Piai

Tunim (Antonio Paro) e Maria (dos Paro da Gurita)
Ford A 1929 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/


 década de 1930 - Casa Auto Ideal, de Domingos Alves - loja de peças, oficina e bomba para abasteciemento (Av. Angelo Martins Tristão,
em frente à estação)
O interessado no combustível comprava "XX litros", o abastecedor ia e 'bombeava' a quantidade para o alto da bomba coqueiro. Depois, por gravidade a gasolina descia pela mangueira até o carro e quando o volume chegava ao que o dono tinha pagado, o operador cortava a passagem. A evolução desta para as outras bombas é que elas já succionavam a gasolina direto para o tanque do carro e com a devida marcação. Antes disso, gazolina em lata!
http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

 Baratinha Ford 1928 - utilizada pelo médico Dr. João Moreira de Andrade para trabalhar, nas décadas de 20, 30 e 40.
Na foto, o Dr. Floriano Moreira de Andrade e Rafael, respectivamente filho e neto do Dr. João Moreira de Andrade
Ford 1929 "reformado", foto anos 80 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
 Romeu Milani com seu cachorro perdigueiro (chamado Amigo)
num Ford 29
jardineira Ford 28/29, carroceria artesanal
http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
Ford T-21, década de 1920. Entre outros: João Ribeiro e Pedro Tristão
Ford T pré 1921 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

 Maione e Nelson Moleiro - Jeep movido a gasogênio
à época da Segunda Guerra Mundial (1939/45) devido
ao racionamento de combustíveis

O Ponto de carros de praça em frente à estação ferroviária:


 enviadas por José Percival Ribeiro Marin
Ford 1940, Ford 1948 e Ford 1940 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
 carro entrando na Praça - Cesar Augusto Malpelli Salvi

 em frente à antiga Prefeitura

 as Kombis das famílias Malpelli e Polizelli



 1) Antonio Vecchini /  2) Gino Camolese /  6) Antonio Sipio Vechini
foto enviada por Jorge Jaime Reis
Oldsmobile 1946 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

 Chevrolet Bel Air - Ananias Nascimento
foto enviada por Carlos Alberto Ribeiro
Chevrolet Bel Air V8 1956 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

Antonio Sergio Torquato escreveu:
"São Paulo Campeão Paulista depois de muitos anos na fila de espera: 1973. "Os São Paulinos do Bar do Salvador quase morreram do coração neste dia."

Renault Dauphine 196x http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

 João Caldeira e Sandra Caldeira

 Sandra Caldeira, João Caldeira e Edson Caldeira...
Dodge Dart Coupé 1973/74 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
 O Jeep no desfile de 21/abril/1972
e o do Ananias Nascimento

 O Chevette




O fusca,
um clássico que sobrevive





 Renato Cândido Martins, publicada no livro Crônicas da Cidade de Colina, de Nicola Gonçalves, provavelmente final dos anos 90

 1975 - Auto Escola Monza


2011

Sobre duas rodas:

 1939 - Bicicleta Motorizada (Estudio Mix Mazim)

15 de novembro de 1937 - alguns rostos parecem conhecidos...
Lucy Moreira escreveu no Facebook: festa de entrega do troféu ao ciclista mor de Colina, Antonio Rizzo (próximo ao trofeu, de boné branco) meu tio. Por indicação dela, consultamos o livro de Nicola Gonçalves, Crônicas da Cidade de Colina (página 19) onde ele faz um saboroso relato desta prova ciclísitica. O segundo colocado foi José Lima Scarmato, com vários ases do pedal, como ele relata, participando da prova...
Ana Paula Domingues identificou no Facebook: o do meio, de terno cinza, é meu avô, Chafik Daher



 Estrada Boiadeira 
foto de Renato Cândido Martins, publicada no livro Crônicas da Cidade de Colina, de Nicola Gonçalves


Antonio Sergio Torquato A estrada boiadeira começava atras do Cemitério onde existiu um Pouso de Boiadas, seguia em paralelo a estrada de ferro até o primeiro cruzamento próximo a esquina da antiga Av. do Café, depois a boiada seguia até onde é hoje a Prefeitura e pegava a rua do Eucalipal da Fazenda do Governo, passava em frente ao Lamunier de Andrade para chegar na estrada boiadeira da foto, onde morava o Sr. Sarambé que ia nas casas para matar os porcos engordados nos quintais, era esse o percurso das boiadas vindo da direção de bebedouro para o Frigorífico de Barretos. Outras boiadas que não tinham o destino do Frigorífico de Barretos eram embarcadas nos vagões gaiolas da Cia. Paulista por meio de um curral que existiu perto do Pontilhão Alice Dias. Era comum boiadas pequenas cruzarem a cidade em direção ao Matadouro Municipal de Colina e usavam muito a antiga Rua Bororos Atual Henrique Paro. Me diverti muito acompanhando boiadas e me lembro do Sr. Deó desempacando um boi bravo que invadiu o quintal da casa veia na Rua Bororos onde é atualmente a casa do Pai do Prefeito.


 a Lambretta dos Malpelli

 as lambretas no desfile de 21/abril/1963

 a moto do Laerte Basso

 O Fordinho 1921 dos Camolese, sempre presente

 1956
 1963
caminhão Ford TT 1921http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
O Ford Model TT foi um caminhão produzido pela Ford Motor Company na segunda década do Século XX.
 21/abril/1981 - Estudio Mix Mazim


foto foi tirada por Carlos Alberto Ribeiro, na época do filme de Colina (1956): Décio, José Wilson, Wiles.(...irmão) Anete, Piai, Nelsinho, Nico e ao fundo Fiori Camolese

 Veículos de carga:
caminhões e caminhonetes
1933 - transporte de madeira: puxador de toras da antiga Serraria São José, de J. Gomes Areias. Hoje um dos barracões pertence ao Dieb Taha e é utilizado no beneficiamento de arroz
Francisco Carlos escreveu no Facebook: Essa é demais! Como essa biriba pode puxar essa tora? Tinha motor suficiente pra isto? Deveria anda a 10 km/h. Conheci esse tipo de veiculo na decada de 70 onde a ligação do Reboque com o cavalo Mecanico é a própria carga. Nesse caso, a tora puxa o eixo reboque. Só vendo pra acreditar que nessa época já existia o tal cavalinho

1936 - o primeiro camihão de Colina, de Alfredo Malpelli. Trabalhava para a firma Prado Xaves
que vendia algodão para João Silveira
 Alfredo Malpelli, filho de Carlos Malpelli e Emília Petre, nasceu em 13 de Agosto de 1899 em Cravinhos-SP, Casou-se com Maria Bachine e residia no bairro Patrimônio, um dos primeiros bairros de Colina. Alfredo Malpelli foi o primeiro colinense a possuir um caminhão de transporte (o do meio, na foto) e um dos responsaveis pela construção da Igreja Nossa Senhora Aparecida no Patrimônio, onde residia. Alfredo prestava serviços tambem como taxista, no dia 25 de março de 1973, durante uma corrida foi assaltado e morto.
dois caminhões Ford 1946 e um Ford 1935 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

Década de 1930 - Av. Rui Barbosa, em frente à Oficina de Alberto Milani. Ele adptou num Ford 29 uma carroceria fixa feita por ele

 Angelo Stramasso na Fazenda Caçula carregando café... 
Foto cedida por Maria Ribeiro Stramasso
Caminhão Chevrolet "boca de sapo" 1948/1952 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

 1956 - Antonio Benedito Paro e filhos no terreirão, carregando café no Monte Belo



Obras de saneamento básico na rua 07 de setembro
Doação: Familia Vianna
  


A camionete estacionada, é um Dodge 1941 do saudoso Manir Hares, e foi nele que aprendi a dirigir, quando dos meus 16 aninhos! Barbaridade!!! (Carlos Alberto Ribeiro)

 Tornelli, Caldeira & Cia Ltda.
Ford F-600 1961 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/

 Carilo Marin e Nego Marin - caminhão utilizado para carregar uma máquina debulhadeira de milho
Caminhão Ford 1946 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
 Debulhadeira de milho de Tite Marin

 José R. Simões e Maria, ao fundo Pedro e André Mussato
foto enviada por Carlos Alberto Ribeiro

 debulhadeira de milho de Tite Marin



 Casa Paro, Monte Belo, 1956




Ana Maria Alli Vizzotto: A Iza que faz unha mandou essa foto pra nós e conseguiu identificar todos : em cima da carroceria Alberto Vizzotto (pai de Moacyr Vizzoto), embaixo, da esquerda pra direita: Decio Camoleze, Nico Camoleze, Sebastião (pai da Iza), Dante Marin e Onofre.
Em frente a uma Igreja, que não é a de Colina

(Acervo Particular Ana Paro)
caminhão Ford 1941 http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/
Ford F-500 1953, Rural Willys ao fundo http://antigosverdeamarelo.blogspot.com.br/







Tratores & carretas

 O primeiro trator de Colina, pertencia a Eduardo Rocha Passos, dirigido por Arnécio Camolese (Décio) - observe as rodas
Mais uma bela foto antiga! Esta veio do blog colinaspaulo.blogspot.com e mostra o sr. Décio Camolesi em um trator International na cidade de Colina - SP - http://tratoresantigos.blogspot.com.br/#uds-search-results

 1956 - Posto de Combustível Angelo Stramasso & Cia Ltda.

 Nestor Ezequiel e Viviane F. Sperque - ao fundo, à esquerda, se vê a Igreja do Monte Belo



ETAM São Francisco de Assis (Vagner Meira Cotrim)

Bombas/Postos de Gasolina e Oficinas Mecânicas

 esquina da Rua 7 de setembro com Rua Alfredo Simões
de Campos Filho - bombas de gasolina instaladas nas calçadas
o dono da bomba certamente estava por perto! ou o dono de uma oficina, mercearia ou qualquer coisa. O interessado no combustível comprava "XX litros" o abastecedor ia e 'bombeava' a quantidade para o alto da bomba coqueiro. Depois, por gravidade a gasolina descia pela mangueira até o carro e quando o volume chegava ao que o dono tinha pagado, o operador cortava a passagem. A evolução desta para as outras bombas é que elas já succionavam a gasolina direto para o tanque do carro e com a devida marcação. Antes disso, gazolina em lata!

 década de 1930 - Casa Auto Ideal, de Domingos Alves -
loja de peças, oficina e posto de abastecimento
Av. Angelo Martins Tristão, na época, Rua da Estação




Chevrolet Ramona 1929 ...
Chevrolet International AC Phaeton 1929, chamado de Chevrolet Ramona ou, "ramoninha" para os mais íntimos.

A foto é em frente à Officina Auto Ideal, na cidade de Colina -SP. Além das já manjadas bombas de gasolina à calçada, aparece o cartaz de propaganda dos pneus Goodrich-Silvertown




Auto Posto Parreira & Cia - inaugurado em 1930

 Inauguração Posto Parreira 1930



 do filme de José Mario Tonus - Colina 1956 
  


 Oficina Irmãos Camolese








 25/março/1970

Posto Tornelli & Caldeira - Av. Luiz Lemos de Toledo

 Posto Shell, de Francisco Tornelli, em fase final de acabamento -
Av. Luiz Lemos de Toledo. Da esquerda para a direita:
1) Abelardo Vichini / 2) Nelson Moleiro / 3) sem identificação / 4) Francisco Rodrigues Junior ( Chicão da Caixa) / 5) Antonio Vichini / 6) Luiz Dezolt / 7) Angelo Marçon ( Jaborandi) /
8) sem identificação



 1) Afonso Camargo /  2) João Luiz Caldeira /  3) João Caldeira
4) Geraldo /  5) ?
 Edson Caldeira

 Posto de Combustível e Oficina Mêcanica dos Irmãos Bizarro. Atualmente é a Loja 2 da Rede de Supermercados Tome Leve
(enviada por Renata Paro)
Família Germano Bizarro, da antiga Mêcanica Auto Diesel Colinense

Posto de Gasolina e Loja de Conveniência
a evolução dos postos de combustíveis - dO Colinense






 primeiro avião que pousou em Colina, um Teco-Teco, no campo do Polo

Foi feriado na cidade... lá pelos anos 30...


 Nicola Gonçalves, Crônicas da Cidade de Colina (pag. 18): Por volta de 1935, um aviãozinho teco-teco, ali pelas dez horas do dia, passou roncando pelos céus colinenses, deu algumas voltas e foi aterrisar no campo de pólo, naquele tempo o ún...ico local existente para pousos de aviões.
Minutos após, a população em peso estava presente no campo, apreciando de perto aquele estranho pássaro de metal com asas dobráveis, coisa pouco comum naquela época. Salvo algumas exceções, quase ninguém conhecia um aeroplano. Foi por esse motivo que o tal aparelho foi muito visitado durante as horas em que ali permaneceu.
Botaram um guarda para zelar por ele e sua tripulação foi bater perna no povoado: três ases destemidos e maníacos, segundo a opinião do bananeiro português, um velhinho bigodudo que, aproveitando-se da aglomeração, foi para lá vender as suas bananas.
No outro dia, bem cedinho, a tripulação já estava preparada para o regresso. Gente estranha, não ligou para o povo. Metidos no interior do teco-teco, rodaram pela pista de grama e ganharam as alturas, deixando o colinense abismado. Manhã de festa para o pacato e obreiro povo de Colina. Mesmo sendo uma segunda-feira, ninguém foi trabalhar naquele dia.



Héli Airstar filmando as plantações de laranjas em Colina SP