sexta-feira, 20 de julho de 2018

Fazenda do Governo - colônia



A colônia em construção 
foto enviada por Maria Carolina Buzzulini






Fotos: Renata Paro, Marcelo de Sa, Jose Angelo Carminati, Studio Mix Osmar Carvalho Junior Mazinho. Dilma Gregorio Ramos, Zé Do Polo


































Comentários no Facebook:
Nestor Oliveira Zenaide Paro Minha mãe quando menina e um pouco da juventude com sua família moraram nesta fazenda, quando ainda era tudo Fazenda Colina. Depois de casada, novamente a família dos meus dois avós moraram aí (1946) mas desta vez somente um ano, pois a outra parte da Fazenda Colina também foi vendida para o governo. Eu fui gestado e vivi sete meses e meio no ventre da minha mãe nesta fazenda, um mês e meio depois eu nasci na Fazenda São Joaquim.
Gerenciar


CurtirMostrar mais reações
Responder4 sem
Colina SP Minha avó também morou aí, Nestor Oliveira Zenaide Paro... dizia que tinha morado no Burrinho. Eu não sabia que a fazenda havia sido vendida em 2 partes... Isso explica como eles moraram aí, sem terem sido funcionários do governo. Deve ter sido fazenda de café...
Gerenciar


CurtirMostrar mais reações
Responder4 semEditado
Nestor Oliveira Zenaide Paro Colina SP, minha mãe morou também no Burrinho. Olha eu não sei bem a história, o que eu sei é mais ou menos assim: na divisão para as herdeiras a fazenda dividiu-se em duas, logo depois uma foi vendida para om Estado, a outra continuou com o herdeiro Ver mais
Gerenciar


CurtirMostrar mais reações
Responder4 sem
Antonio Sergio Torquato Nestor Oliveira Zenaide Paro - Uma das fazendas o estado pagou a outra enrrolou - Burrinho é um pedacinho da Fazenda do Governo cedido para a prefeitura de Colina nome de uma bomba de água instalada para bombear água para a caixa que fica na estrada de Colina para Monte Azul Paulista morou lá Valdomiro e sua família meus amigos, mateiro, pescador, caçador e corajoso aprendeu comigo😡😡👿👿


Luiz Paulo Dos Reis Até pouco antes de 1960 podiamos ir de jardineira q passava pela faz.Governo e ia até o Monte Belo. Aí ela passava sobre um córrego volumoso cristalino e com enguias. Tbm. era piscoso.
Gerenciar


CurtirMostrar mais reações
Responder4 sem
Colina SP Antonio Sergio Torquato eu não sabia sobre esta jardineira. E que rio era esse?
Gerenciar


Responder4 sem
Luiz Paulo Dos Reis Havia duas colônias : Fazenda Colina e Fazenda do Governo. Ambas se ligavam por estrada interna. A estrada da Colina de 6 km era, na chegada da colônia, orlada de enormes e antigos Eucalíptos. Fiz muitas vezes a caminhada para ver meus primos.
Gerenciar


Responder4 sem
Nestor Oliveira Zenaide Paro Essa jardineira fez essa linha até após os anos sessenta. Nos anos sessenta o proprietário e motorista era o Sr. Carlos Paro, o ponto inicial e final desta linha era a Fazenda Figueira. Colina SP, esse córrego que o Luiz Paulo Dos Reis cita, certamente é o córrego apelidado de córrego do José Venâncio, que dizem, hoje, que o nome oficial é Ribeirão das Palmeiras. Naqueles tempos diziam que o Ribeirão das Palmeiras começava mais la em baixo na Fazenda da Onça.
Gerenciar


Responder4 sem
Marcia Juliani Era a jardineira do Senhor Remijo? Quando morei la minha família me visitava conduzidos por essa jardineira.
Gerenciar


Responder4 sem
Luiz Paulo Dos Reis Nestor Oliveira Zenaide Paro as águas do Onça ( estrada boiadeira até Bebedouro. Foi muito usada quando asfaltavam a Rodovia) pode ser as mesmas do Zé Venâncio. Da ponte do Onça as águas seguem para a Rodovia.
Gerenciar


Responder4 sem