terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Rubinho o jardineiro artesão de Colina


Rubens Donizete da Silva com uma de suas maquetes





o telhado e as paredes são todos de papel cartão (corto o papel cartão na espessura baseada na telha elevado na proporção da maquete) Colunas são feitas com canela de capim com acabamento de massa corrida e logo após pinto com tinta látex na cor desejada...abraços! 



favor entrar em contato comigo pelo telefone (17) 9-9194-7215 por gentileza entre em contato somente após as 18 horas...grato! 


ObS: podem entrar em contato também através do e-mail da minha sobrinha pamelabeatrizalves@hotmail.com


Fotos e pesquisa por Renata Paro:




Rubinho jardineiro - talento colinense:

MAQUETES DO RUBENS DONIZETE DA SILVA, CONHECIDO COMO RUBINHO JARDINEIRO. DESDE PEQUENO ELE TEM PAIXÃO POR MAQUETES, PRINCIPALMENTE POR IGREJAS E ARQUITETURA ANTIGA. 

COM RARAS EXCEÇÕES, SUAS OBRAS SÃO FEITAS APENAS ATRAVÉS DE FOTOGRAFIAS... 

AS MAQUETES SÃO FEITAS DE PAPEL CARTÃO, BAMBU, CANA DE CAPIM, ETC.
O SONHO DELE É TRABALHAR COM MAQUETES, PORTANTO, ELE ACEITA ENCOMENDAS. 

SE ALGUÉM TIVER INTERESSE, POR FAVOR, ME AVISE. FIQUEI ENCANTADA COM O TALENTO E A HUMILDADE DO RUBINHO. SEM DÚVIDA, UM ARTISTA QUE PRECISA SER MAIS RECONHECIDO...




Matriz de são Tomas de Aquino Minas Gerais, linda e rica em detalhes































Pórtico de Gramado (RS) - tempo de confecção: 3 meses

Igreja de São João - Bebedouro - 3 meses para fazer esta maquete








Matriz do Divino Espírito Santo - Barretos - 
trabalho realizado em 3 meses





Basílica de Aparecida - maquete levou 3 meses para ser concluída










Catedral da Sé - São Paulo - Rubinho levou 7 anos 
para concluir este trabalho

























do blog parceiro Colina Cidade Carinho, de Vagner Meira Cotrim

Vídeo EPTV: 
Rubinho o jardineiro artesão de Colina
Depois do Mapa Cultural Paulista, Rubinho ganhou projeção regional na mídia onde, além do reconhecimento, pode mostrar seu talento


Rubens Donizete da Silva, o Rubinho, como é conhecido por todos, é jardineiro em Colina. Em 2009, descobrimos que, além de jardins, Rubinho fazia com perfeição maquetes de papel, em especial de Igrejas, algumas que ele conhecia, outras que sonhava em conhecer. Rubinho se inscreveu no Mapa Cultural Paulista 2009/2010 e representou Colina junto com outros artistas na Modalidade Artes Plásticas: Dilma Gregório Ramos e Eduardo Souza. Rubinho foi a sensação do evento, o juri não conseguia classificar sua obra em nenhuma modalidades para avaliá-lo e a solução foi premiá-lo com Menção Honrosa.

 Mapa Cultural Paulista 2009/2010
Rubinho recebendo "Menção Honrosa"


 Maquete de uma Igreja de Parati

O Colinense - 13/12/2015



Jardineiro revela dom de reproduzir miniaturas de igreja com perfeição

O dom de reproduzir miniaturas de igreja com tanta perfeição surpreende não só pela habilidade de retratá-las em tamanho tão reduzido, mas pela riqueza de detalhes que não escapam aos olhos atentos do jardineiro Rubens Donizete da Silva, de 46 anos, que tem paixão por este trabalho que além de paciência, exige muita dedicação e amor a esta arte milimétrica.
O jardineiro que mostra habilidade não só na profissão de ofício já foi tema de matéria veiculada neste semanário, que novamente retornou a sua casa no Jardim Simões alguns dias depois de concluir a maquete da igreja matriz de São Tomaz de Aquino, em Minas Gerais, reproduzida atendendo pedido de Luiz Carlos Martins da Silva que tem verdadeira adoração pela edificação.
“Ele me encontrou na internet e fez o pedido porque mudou de São Tomaz de Aquino para Franca. Ele queria ter em casa a réplica da igreja onde foi batizado, fez a primeira comunhão, etc”, contou Rubinho como é conhecido.
Antes de iniciar a confecção, em março de 2014, o artista viajou para a cidade mineira para ter noção das dimensões que a maquete iria ter. “Esse contato visual e as medições que faço são fundamentais para que a miniatura tenha a mesma projeção do tamanho original”, revelou Silva. A maquete demorou um ano e oito meses para ficar pronta e consumiu 840 horas de trabalho. “Demorou todo este tempo porque só podia trabalhar nela nos finais de semana”.
A confecção exigiu muita paciência do artista. “É como montar um quebra-cabeça, porém mais trabalhoso porque além de fazer, recortar e encapar as peças, uma a uma, é preciso colá-las e na hora da junção é necessário corrigir as imperfeições com massa corrida. Os vitrais são feitos com um capim fininho e as colunas com outro um pouco mais grosso. A torre é a primeira que monto porque fica mais fácil para seguir o corpo da igreja”, revelou.

TELHADO FOI MONTADO COM 7 MIL PEDACINHOS DE PAPEL

Quem vê a maquete não imagina que os minúsculos retângulos do telhado, que imitam as telhas, foi montado com quase 7 mil pedacinhos de papel milimetricamente cortados no mesmo tamanho. “Risquei telha por telha no papel cartão, todas medindo 50mm de comprimento por 30mm de largura. Com certeza foi uma das partes mais demoradas e o resultado valeu todo o esforço”.
A fascinação por miniaturas começou na infância e com o tempo o dom foi se aperfeiçoando e se concentrou nas igrejas. “Um dia estava sentado em frente à catedral em Barretos, achei tão lindo os detalhes da torre que surgiu um enorme desejo de reproduzi-la, o que aconteceu tempos depois”. A primeira réplica em miniatura que fiz foi do Santuário Nacional de Aparecida e na sequência vieram a catedral em Barretos e da Sé em São Paulo que o artista interrompeu e terminou em 2009 para fazer a igreja de São João Batista, de Bebedouro; o Portal de Gramado e a igreja de Paraty, no Rio de Janeiro.
“Após um intervalo de 5 anos comecei a fazer a igreja de São Tomaz de Aquino. Quase todas visitei antes de iniciar o trabalho, somente o portal de Gramado vi numa revista e a igreja de Paraty copiei de um cartão telefônico, usado na época dos orelhões”.
Rubinho manifestou o desejo de futuramente reproduzir a igreja matriz de Colina e a catedral de Petrópolis, que observa há muito tempo e tem um enorme desejo de vê-la em miniatura. Em 2010 o artista participou do Mapa Cultural com suas maquetes, recebendo menção honrosa.
O artista tentou descrever em palavras a paixão que tem por réplicas em miniatura de igrejas, porém não conseguiu. Ele apenas disse que “a satisfação é sua maior recompensa”.
Por causa do serviço Rubinho não tem tempo para se dedicar a sua maior paixão, mas se aparecer alguma encomenda ele aceita só não pode ter pressa porque é algo que tem um início e não um fim programado. Coisas de artista, principalmente daqueles que executam essa tarefa em medidas tão pequenas e com tanta perfeição.

post publicado originalmente em 20/08/2012