sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Agnaldo Ferreira de Araújo, artista plástico/escultor colinense

pesquisa: Renata Paro e Colina SP
reportagem dO Colinense (novembro/2011)
Fotos de Renata Paro, de Zilda Ferreira Baena e do blog Colina Cidade Carinho, de Vagner Meira Cotrim


Agnaldo Ferreira: um artista por excelência
Você já ouviu falar de Agnaldo Ferreira de Araújo? O nome do artista plástico colinense é desconhecido da maioria das pessoas, pelo menos da nova geração, mas ele é o autor da escultura do Cristo na entrada do cemitério e dos monumentos aos ex-combatentes brasileiros na 2ª Guerra Mundial e do Rotary na Av. Luiz Lemos de Toledo. Também criou o obelisco “O Direito de Ir e Vir” no início da vicinal Colina/Monte Azul e confeccionou o brasão na fachada da prefeitura.
 O escultor nasceu e morou em Colina por quase toda a vida e foi vereador por vários anos. Por motivos profissionais mudou-se com a família para São Paulo em 1971, onde permaneceu até sua morte em 1990, aos 67 anos.
As irmãs Zilda e Maria mostram protótipo de maquete e escultura criadas pelo pai
O talento pelas artes se manifestou ainda na infância. “Ele tinha uma sabedoria nata que foi lapidada pelas experiências existenciais. Não tinha formação acadêmica, mas passou com louvor no vestibular da vida eterna”, contaram as irmãs Maria Luiza, que mora em Colina e Zilda, de São Paulo.
Para elas o grande legado do pai foram os exemplos que deixou. “Era totalmente desprendido das coisas materiais e constantemente dizia que os defeitos tinham que se transformar em virtudes”.
As esculturas em madeira e outros materiais estão espalhadas por vários lugares. Um busto de Alan Kardec, confeccionado em concreto e acabamento em bronze, está na praça que leva o nome do médium em Santo André.
As irmãs Maria Luiza e Zilda disseram que a maioria dos artistas são reconhecidos após a morte, mas o pai nunca foi homenageado. Os monumentos aos ex-combatentes e “O Direito de Ir e Vir” são os únicos com identificação, os demais não possuem o nome do escultor. Agnaldo foi sepultado no cemitério local (O Colinense)
Biografia de Agnaldo Ferreira de Araújo, por Zilda Ferreira Baena
Artista por excelência nasceu na cidade de Colina em 26/01/1923. Filho de Manoel Ferreira de Araújo e Claudina Martins Ferreira sendo esta irmã de Angelo Martins Tristão ao qual Agnaldo tinha por esse tio uma grande admiração. Seus irmãos foram, Odete, Granville, Sônia e Boanerges, todos natural de Colina. Durante algumas décadas pregou a filosofia espírita vivida por ele intensamente. Casou-se com Adelina Belice Ferreira e dessa união tiveram quatro filhos, Luiz Carlos, Maria Luíza, Zilda e Aguinaldo Ferreira Filho. Agnaldo era socialista por convicção, pintor, escultor, amante incondicional das artes, defensor intransigente da ecologia, sempre demonstrou uma grande revolta contra as injustiças.
Sobre a vida terrena ele tinha a seguinte definição: ''Ela se constitue apenas em um vestibular para a eternidade''.
Foi vereador nesta cidade por 3 legislaturas consecutivas 1956/59, 1960/63 e 1964/68. Se elegeu vereador com militância politica na UDN, PSB e PTB no legislativo colinense sempre defendeu os programas de governo que visavam o bem estar da população, foi diretor do jornal ''O Colinense'' no final da década de 40 e no início dos anos 50, se dedicou a um jornalismo sério, sadio, imparcial e voltado as causas maiores do município.
Por motivos profissionais mudou-se com a família para São Paulo em 1971 onde permaneceu até sua morte em 1990 aos 67 anos.
O talento pelas artes se manifestou ainda na infância, ele tinha uma sabedoria nata, não tinha formação acadêmica, era muito culto, apreciava uma boa leitura. Deixou para os filhos, o legado de seus bons exemplos. Desapegado das coisas materiais mas preocupado em adquirir virtudes.
Agnaldo como filho desta cidade também deixou sua marca artística. São de sua criação e execução o ''Monumento aos Expedicionários'', o ''Obelisco'' que simboliza o direito democrático de liberdade localizado no inicio da viscinal Colina/ Monte Azul, o ''Brasão da Cidade de Colina'' na faixada da prefeitura, ''Cristo'' no jardim de entrada do cemitério municipal que simboliza a passagem da vida material para espiritual, e o ''Brasão do Rotary'' na Av. Luiz Lemos de Toledo. Suas demais esculturas estão espalhadas por vários lugares, sendo que o busto do espírita Allan Kardec encontra-se na praça que leva o nome do médium na cidade de Santo André- SP.

Obras de Agnaldo Ferreira:

Segundo o Zico (Nadir Abdalla), este Monumento ao Rotary, em forma de imã, seria para atrair as pessoas para a nossa cidade (Renata Paro)
Monumento ao Rotary
1) José Roberto Fernandes (Quita, radialista) / 2) Dr. Palomino Fernandes / 3) João Adhemar Paro / 4) Dr. José Vieira Machado Jr./ 5) Hélio de Toledo / 6) Lolô Junqueira / 7 e 8 (?) / 9) Schimidt Ivamoto 10) João Caldeira / 11) Aristeu dos Santos / 12) João da Silva (Fin), 13) Ezequias Barcellos / 14) Agnaldo Ferreira

Monumento aos Expedicionários Colinenses

''Cristo'' no jardim de entrada do Cemitério Municipal que simboliza a passagem da vida material para espiritual


Obelisco na Vicinal Colina/Monte Azul: "O Direito de Ir e Vir"

O Brasão do Município de Colina


Anjos Estilizados

Nicho Jesus e Maria

Time formado por politicos e empresários - 21 de abril de 1974(Foto: Acervo Museu Municipal de Colina)
Equipe de Futebol Veteranos do Colina Atlético: Zanete, José Carlos Destri, Dego, Adelino Basso, Antonio Daher, José Cury, Antonio Alves Garcia, Aymar Paro, Pedrinho Palmieri, Salomão Cury
Agachados: Felício Látaro, Nego Abdala, Moacir Vizzoto, Piquira, Mário de Felício, Agnaldo Ferreira, Chico Tornelli



com o então Deputado Ulysses Guimarães

Agnaldo e os netos: Ricardo, Rodrigo (colo), Deborah e Leandro


na formatura de 8a. série da filha Zilda


Suas demais esculturas estão espalhadas por vários lugares. O busto do espírita Allan Kardec encontra-se na praça que leva o nome do médium na cidade de Santo André - SP